Sou uma grande fã de fazer listas. Faço listas (sem fim) dos livros que quero ler, filmes e séries que quero assistir, coisas que preciso fazer, contas para pagar e assim por diante. É muito bom para não perder recomendações de amigos e organização no geral.

Você já deve ter feito em sua vida uma lista de tudo o que você precisa fazer no dia ou semana, fora toda a sua rotina com trabalho e estudos. É aquela lista que no momento que você termina de escrever todos os itens, pensa; “não vou conseguir fazer tudo isso”. Mas pelo menos está anotado para que em algum momento, isso se realize ou não. É nessa mesma lista que ao poder dar um certinho ao lado de uma tarefa que foi realizada, faz uma dancinha. E se conseguir completar toda a lista, é como se tivesse escalado o Monte Evereste.

Eu vejo três pontos positivos em fazer essa lista.

Primeiro: você não esquece de coisas que precisa fazer.

Segundo: A sensação de conseguir riscar toda a lista é muito boa e você se esforça para conseguir realizar tudo.

Terceiro: se você fizer antes de dormir, tira as preocupações da cabeça e garante um sono mais leve (ou pelo menos que não vai ficar se preocupando antes de pegar no sono).

Vejo dois pontos negativos.

Primeiro: é a frustração por não conseguir realizar algo da lista.

Segundo: quando a lista tem mais que duas páginas, acumulamos tanta coisa ou exageramos em tudo que acreditamos que podemos realizar em um dia.

Duas técnicas me ajudam a lidar com os aspectos negativos da lista de tarefas do dia. A primeira é mudar o nome da lista para “o que posso fazer hoje” e tentar manter-se realista em colocar apenas as atividades que acredito que posso realizar. E a segunda é ao lado desta lista, criar uma nova com o nome “extra”. Porque, muitas vezes durante o dia, em nossa rotina cheia, e tentando realizar as tarefas da lista, sempre tem algo que fazemos a mais. Essa segunda lista ajuda muito quando algo não consegue ser realizado. Pode ser que você não tenha conseguido realizar tudo que queria naquele dia, mas olha só, teve coisas extras que conseguiu fazer.

Além das listas de responsabilidades, existe outro tipo de lista, para trabalhar positividade e gratidão, na qual eu listo todas as coisas boas que me aconteceram no dia, das grandes às pequenas (um sorriso, uma ajuda, um presente, uma gentileza, o respeito de alguém, reconhecimento, um abraço, um sentimento).

A lista também funciona para que se faça algo pelas pessoas, para que eu veja o quanto de bem também posso proporcionar e para retribuir a positividade recebida. Afinal de contas, é uma via de mão dupla; você dá, você recebe.

Pode ser difícil criar o hábito de listar todos os dias boas ações que ocorreram. No começo eu escrevia todo dia e com detalhes. Depois, a rotina começa a atropelar, e a lista ficar menos detalhada. Para não perder o costume anoto rapidinho algo no celular (e tem dias que nem escrevo, mesmo tendo várias coisas legais que poderia registrar). Até que você passa a registrar quando lembra, quando consegue, registra em uma sentada como foi a semana inteira ou até o mês.

Eis, então, que tropeço na lista ao remexer a gaveta. E passei quase uma hora apenas lendo e relembrando. Rindo sozinha de lembranças boas. Foi quase como me dar um presente.

Considerei reiniciar o costume de escrever todo dia alguma coisinha legal na lista, porém, o medo da rotina me atropelar de novo e eu a deixar de lado mais uma vez foi maior. Todavia, algo novo se criou. Uma lista que não precisa necessariamente ser escrita todo dia. E iniciou-se a lista “para sempre”.

Muito simples e prática, a lista “para sempre” é feita de lembranças que você quer lembrar para sempre. Podem ser fotos, podem ser histórias curtas, frases impactantes, conquistas, tristezas (porque algumas tristezas valem a pena serem lembradas, pois nos fazem mais fortes, mais sábios), diálogos engraçados, livros e filmes inesquecíveis, lugares para se retornar… Vale tudo que você gostaria de lembrar “para sempre”, melhor ainda se você escrever o porquê.

“Ah, mas aquilo que eu quero lembrar para sempre eu não preciso anotar”, você vai me dizer. Bem, e se você esquecer? Invista em uma lista de todas aquelas coisas (pequenas e grandes) que merecem ser eternas e imortais à passagem do tempo e a fraqueza da memória, você não vai ser arrepender.

Listas podem e devem ser as nossas melhores amigas.

napo2

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: